terça-feira, 14 de agosto de 2012

Eu sou...








Eu sou a subjetividade das palavras
Das cores eu sou o surrealismo
Das flores eu sou o lírio
Dos poemas o delírio
Não tente me entender
Sua mente vai gritar
Suas vistas vão arder
Eu não sou pra se decifrar
Sou apenas para amar
Sou apenas para te ser
Ser um riso a qualquer hora
Ser a mão que te apóia
Ser os braços que te envolvem
Ser o quente que te cobre
Ser canção no teu silêncio
Ser o alivio na tua dor
No teu cinza... Ser a cor
Não tente me racionalizar
Assim você vai me perder
Pois eu sou a subjetividade das palavras
Das cores eu sou o surrealismo
Das flores eu sou o lírio
Dos poemas o delírio






Lira

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Olhe direito...



Nem tudo que reluz é ouro...
Nem tudo no baú é tesouro...
Nem toda rima é poesia...
Nem todo sorriso é alegria...
Nem toda lágrima é sofrimento...
Nem toda citação conhecimento...
Nem toda lembrança é saudade...
Nem toda maquiagem é vaidade
Nem todo grito é sofrimento...
Nem tudo que enche a barriga é alimento...
Nem todos que não te abraçam são seus inimigos...
Nem todos que te abraçam são seus amigos...
Nem todo não é maldade...
Nem todo sim é bondade...
Nem todo braço erguido é acolhimento...
Nem toda mão recuada é ressentimento...
Nem toda fala desorganizada é anormal...
Nem toda fala articulada é de intelectual...
Nem tudo na ida é o que é...
Nem tudo na vida é como se quer!



Lira





"Portanto, pelos seus frutos os conhecereis" Mateus 7.15-20."

segunda-feira, 19 de março de 2012







"O coração de uma mulher deve
estar tão escondido em Deus,
que um homem deve procurar
a Deus a fim de encontrá-lo.“









Autor: Desconhecido



Montagem: Lira